sexta-feira, 1 de maio de 2009

Lamento compulsivo.

Sobre o meu corpo um cheiro de paixão.
Sob meus olhos secos, solidão.
Pela minha vida, um rastro de ilusão,
e um imenso vazio em minhas mãos.

Mas, o que dizer do amor,
se dele somos sombras?

Já não tenho segredos pra contar,
já não sinto vontade de matar
nenhum desejo, nenhuma obsessão.
Já não me importa mais meu coração.

Mas, o que dizer da dor,
se dela somos servos?

Nenhuma luz me guia,
nenhuma estrela me alumia.
Sou um pedaço de nada
em um nada absoluto.

Sou uma estrada esquecida
em direção a um abismo.
Sou um desastre, uma catástrofe.
Eu sou a escória do mundo.

[Thom Albuquerque]

2 comentários:

Anônimo disse...

Triste.

Thom Albuquerque disse...

Podes crer.

Essa é a definição exata.

"Triste".

Valeu o comentário [seja lá quem for].