segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Bem no brilho, escuridão.

Dentro do meu olho tem um lírio
de delírio... Alusão à ilusão.
Dentro do meu olho tem espinhos
num confuso desalinho
sobre o lírio, ali, sozinho.

Dentro do meu olho o desespero

destruindo o olho inteiro,
tal e qual fosse paixão.

Dentro do meu olho um violão

num suspiro bem baixinho,
sussurrando uma canção.

Dentro do meu olho um coração

num pulsar agoniado,
sufocado... Ameaçado
pelo orgulho à contra-mão.

Dentro do meu olho um sentimento,
sentinela fora e dentro,
paraíso e firmamento...
E, bem no brilho, escuridão.

[Thom Albuquerque]


8 comentários:

Ray Coso disse...

Cara, escreves muito bem, parabéns aê! Belos poemas, belas imagens, show!
Adorei esse aqui! Sucesso aew!
;*

Thom Albuquerque disse...

^^
O olhinho do Thom brilhando agora~
vc devia ver! rsrsrsrs
>oBrigadão<

Anônimo disse...

Ah. sis zóinho brilham com tuuudo! xD
>Anjo

Thom Albuquerque disse...

kesskeskes... Essa eu não sabia!

lauradance disse...

firme essa dai.............

tah totalmente incrivel.!!!

Thom Albuquerque disse...

rsrs... valeu, mas...
tenho quase certeza de que você está se referindo à imagem! rsrsrs
Bjos

ballet filosofico disse...

vc ja pensou na possibilidade de divulgar em algum folheto, ou livreto, ou até mesmo em livro em partes anexadas...cara...parabens...

Thom Albuquerque disse...

Já sim.
Tenho planos de montar um livro com alguns destes poemas~
[tempo vai, tempo vem..]